Quem quer ir para a semana até Marrocos?

Já fizemos de tudo! Marrocos é aquele destino…que vamos. Sempre. Estamos prontos. É só fazer a mochila. E fazemos com a maior das alegrias. Já fomos para o club med com os miúdos (Smir- infelizmente já não existe mas aquelas cabanas na praia eram a nossa cara), já fomos com amigos, de jipe até ao deserto, já tinha ido como jornalista, até Erg Shebbi, para fazer a cobertura dos treinos do Dakar. Já tinha ido com o meu pai, doente por viagens como eu, várias vezes. Não consigo escolher a melhor.

 

Gosto dos cheiros, das ruelas, das cores, de especiarias, dos mercados. Gosto de comer na rua, de regatear, de ver os  tapetes estendidos, a cada esquina,  e gosto  de perguntar. Gosto de visitar escolas, entrar na cultura, comer em casa de quem aqui habita. Gosto de viver os destinos  sem horas. Gosto do deserto. É sempre tempo de regressar a Marrocos.

Escolhi a viagem com amigos para retratar porque foi a volta maior, passou pelo deserto, tivemos jipe e guia e pagámos cerca de 500 euros por pessoa por 6 noites, através do site do  Joao Leitão.

nós em marraquexesouk marrocos

Começámos a viagem de amigos com um post surreal! Lançámos a pergunta como se de um tapete se tratasse: “Quem quer ir, para a semana, até Marrocos?” Em uma semana éramos 6, marcámos voos (há sempre a bom preço, basta pesquisar no skyscanner/momondo) e contactei o João Leitao. Viaja pelo mundo, tem site de viagens, Marrocos é casa para ele, tem com a  irmã um turismo, Dar Rita – Riad, em Ouarzazate (as portas do deserto). Não é caro. Aqui fica o roteiro que fizemos!

Marrakech, Ouarzazate, Ait Benhaddou,  Dunas de Erg Chebbi e dormida no deserto, Essaouira, Gorges du Todra.

Aterrámos em Marrakech e dormimos no riad de um suiço, com uma piscina do tamanho pouco maior do que uma banheira. E não é que parecia uma piscina olímpica? O calor era tanto que não era possível sair do riad depois de almoço. No topo da casa havia um terraço e este mar dos deuses. Era onde nos abrigávamos do calor…

piscina marrocos

 

Marraquexe, a cidade Rosa. Localizada no sudoeste de Marrocos. Músicos, bailarinos, roulottes, comida, contadores de histórias, vendedores de tudo, cobras e lagartos e tudo o que nos deixa de boca aberta. E de volta à piscina, no topo do telhado. No verão não há como não ter!

As malas chegaram assim, de carrinho e nós a pé. Querem melhor? Chegámos à rua do hotel. Parecia que tinhamos entrado num conto das Mil e uma Noites. Aqui tudo é possível.

 

marrocos marraquexe

O Islão é a religião com mais seguidores em Marrocos, mas coexiste perfeitamente com outras como é o caso da judia e a cristã. No Ramadão, a venda de álcool e  refeições, em alguns estabelecimentos, podem estar condicionados, mas para servir os turistas, trabalham, sem comer, durante todo o dia. Na última vez que estive em Marraquexe, estava a chegar o fim do dia e tinhamos apanhado uma charrete para percorrer a cidade. O condutor, ao chegar o final do jejum, parou a charrete e pediu autorização para comer. A primeira coisa que fez foi oferecer-nos. Nunca mais me esqueci deste gesto…

 

banca marraquexerestaurante marrocos

 

Sempre comi na rua, nunca tive problemas. Levo os miúdos e aprender a olhar para estas bancas e apreciar uma cultura diferente, levo-os a sentar-se para almoçar ou jantar. A sentirem-se em casa. E o que comer? couscous e couscous e mais couscous. Adoro de galinha e borrego!Somos fãs e cozinhamos muitas vezes em casa!

 

pedro e cousous marrocos

Pára tudo! É de ir ver:

Gorges du Todra ou Gargantas do Todra são os desfiladeiros mais conhecidos de Marrocos. Ficam no vale do Todra, do lado oriental do Atlas a cerca de 15 km da cidade de Tinerhir.

Impressionantes penhascos que chegam a atingir os 300m de altura, separados apenas por 20 a 50 metros. Há pessoas por todo o lado na água. Crianças, idosos.

Entre as paredes esmagadoras corre o rio e há uma estrada que o acompanha. Ao percorrer a estrada temos realmente a sensação que vamos ser engolidos. É tirar os sapatos e deixarmo-nos levar.

homem numa pedra marrocosmarrocos eu
Ouarzazate:
Não perca o fantástico Oásis de Fint, o Kasbah Tifoultoute, O Ksar UNESCO Património Mundial chamado Ait Benhaddou, o Oásis de Skoura e a aldeia de Tounout, Anzal e Tazenakht.
Pode ainda visitar os dois estúdios de cinema com  cenários de vários filmes de Hollywood tais como Lawrence das Arábias, Gladiador ou  o Reino dos Céus (The Kingdom of Heaven). Nós fomos e valeu a pena!
eu marrocos parque cinema

Ait Benhaddou é um ksar (em português Álcacer) situado a 28km de Quarzazate. Está inserido na lista de Património Mundial da UNESCO, esculpida numa encosta no sopé do Atlas com o rio a seus pés, esta “aldeia de barro” é um lugar exótico que não deixa ninguém indiferente.

Outro campeonato:
A chegada ao deserto é reduzirmo-nos ao nosso tamanho. É perceber a dimensão do mundo. É respeitar. É ser feliz.
dunas nos
Dormimos a primeira noite num hotel nas dunas absolutamente extraordinário, procurem “Auberge du Sud”. Estava um calor infernal, electricidade só a partir das 19 horas ou seja, até lá, sem ar condicionado.
Lembro-me bem de tomar duches para me refrescar e de me atirar directa para a cama para tentar dormir uma sesta mas secava em menos de um mn.
O hotel tem umas janelas para o deserto que nunca me irei esquecer. Hei de regressar com os miúdos.
À noite, a festa.  O coucous, o borrego, as frutas, os bailarinos, as danças, música berbere e deixávamo-nos cair num tapete até adormecer. De manhã, partimos de camelo para o deserto onde acampámos de noite. Uma experiência demolidora. Este hotel organiza as dormidas no acampamento Bouydrguie. É imperdível!
deserto marrocos
dunas camelo marrocos
dunas marrocos 1
Quem gosta de aventura deve passar por isto.  A areia desenhada. Parecem fotografias só que estamos dentro do quadro! E ainda assistimos ao “cameleiro” a pescar um peixe na areia. Só com uma mão! (Não nos esquecemos deste gesto, Hamid. O melhor “cameleiro” de sempre).
fila indiana marrocos
Dormimos numas tendas improvisadas, o jantar foi servido antes de começar a festa, muitos optaram por dormir ao relento a ver as estrelas e a ouvir os batuques. Nós ficámos nestas tendas, alcatifadas e confortáveis. Qual conto de Sherazade:)
dunas
Levantar e cedo erguer dá direito a subir à duna mais alta e correr para ver o nascer do sol mais extraordinário. África e deserto é a mistura perfeita para ser feliz!
mesa marrocos
Bom dia!
nós em marrocos
Dá tempo para parar, fotografar e pensar que  acordar cedo faz realmente a diferença.
Seguir viagem aqui quer dizer regressar ao jipe que alugámos com motorista. Podemos fazê-lo nós mas termos deixado o volante para quem conhece os caminhos foi espectacular. Éramos 6 com o guia 7. Limitávamo-nos a fotografar e a parar onde pedíamos, sempre que saía fora do programa.
jipe marrocos 2montanha marrocos

Ait Benhaddou é um ksar (em português Álcacer) situado a 28km de Quarzazate. Está inserido na lista de Património Mundial da UNESCO, esculpida numa encosta no sopé do Atlas com o rio a seus pés, esta “aldeia de barro” é um lugar exótico que não deixa ninguém indiferente.

 

Também a não perder:

Rabat, Chefchaouen, Nkob,  El Jadida, Toubkal. Um casamento berbere, visita a um kasbah, visitar os berberes,   a ida a uma madrassa. E tragam tapetes. Ficam para a vida:)

 Auberge du Sud

  • Morada: Ras el Erg, Merzouga, Province d’Errachidia, Marrocos
  • Telefone: +212.661.602.885
  • Email: aubergedusud @ gmail.com
  • Página de Internet: www.aubergedusud.com

A saber antes de ir e visitar:

  • Souks – Mercados labirínticos onde nos queremos perder;
  • Riads – Mansões com pátios construídas perto dos palácios onde os parentes da família real, conselheiros e mercadores ricos passavam o seu tempo. Há muitos riads actualmente que são turismos. Para mim o melhor sítio para ficar;
  • Hammam – Banhos públicos tradicionalmente de tijolos de lama. Experimentem;
  • Madrassas – Escolas ou centros de aprendizagem de leis, Filosofia, Astrologia e do Corão .Faz sentido ir visitar;
  • Kasbahs – Castelos de tijolos de lama construídos em lugares remotos como no topo rochoso de um penhasco ou num oásis. Não percam.

 

*ver site do João Leitão sobre este destino.

Anúncios

Publicado por

Bárbara Alves da costa

Jornalista. 17 anos na SIC e acabei por sair para me lançar num novo projecto de vida por ser mãe e precisar de fazer esticar os meus dias: a Terra do Sempre. Um turismo de histórias com 7 quartos no Alentejo. A escrita faz parte do meu dia a dia com os textos que partilho no facebook, instagram e quando escrevo para a imprensa. O site de viagens vem mostrar que há sempre caminhos novos mesmo quando mudamos de vida. Os mais de 30 mil seguidores das nossas viagens já vão ter com que se entreter e espero que seja uma ajuda para que sonhem cada vez mais!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s